terça-feira, 8 de março de 2016

A autoestima da mulher

A autoestima é amar o que se é. É o gostar de si, é o valor que uma pessoa atribui a ela mesma. A autoestima começa a ser formada nos primeiros anos de vida desde a gestação, através das informações que recebe  da própria mãe e continua sua formação durante toda a infância na relação sua relação com o restante do ambiente externo. Essas influências atuam no seu desenvolvimento durante toda sua vida.  

Feminismo, Ciber Feminismo, Auto Estima, Autoconhecimento, Orientação Psicológica On Line, Atendimento Psicológico On Line

Dessa forma, percebe-se que o outro é fundamental na constituição do nosso EU e assim nos constituímos como pessoa, pois pelo olhar do outro que nos conhecemos e nos valorizamos. O que os outros reconhecem e valorizam em nós é o que reconhecemos e valorizamos em nós mesmos, como que um espelho.

A depender de como se dá essa influência, a menina desenvolverá uma autoestima positiva ou uma autoestima negativa. Se apoiada e incentivada ela desenvolve uma autoestima sólida e se tornará uma mulher mais segura, autoconfiante e com facilidade de decidir sobre sua vida.


Por outro lado, a menina que é muito cobrada, oprimida e não estimulada, poderá tornar-se uma mulher insegura, indecisa e sem autoconfiança, acreditando que ela não é suficientemente boa, nem bonita,  nem inteligente.


Autoestima e Psicologia

A baixa autoestima influencia de forma negativa na vida de qualquer pessoa. Na vida da mulher a faz se sentir com pouco valor, insegura, incapaz de realizar coisas sozinha, dependente, indecisa, pouco confiante, conformada, acreditando que merece pouco da vida e das pessoas.


A baixa autoestima a faz se envolver em relacionamentos problemáticos, permanecer em empregos que não se sente realizada, se deixar ser explorada por não conseguir dizer não para não desagradar o outro, pouco ou nada se arrisca, não tolera sair da rotina, teme situações novas, não sai da zona de conforto.

Como Melhorar a Autoestima

Os acontecimentos e a forma como as pessoas reagem a nós e nos tratam vão contribuir para que nossa autoestima continue baixa ou se eleve. Vão reforçar que ela continue da mesma forma ou mude.

Quando já somos adultos, a mudança na nossa autoestima depende cada vez mais de nós e menos dos outros. Nesse momento passamos a ter total responsabilidade pela forma como nos deixamos afetar pelos outros. Por isso, para mudar a autoestima é preciso mudar a relação com nós mesmos e com o outro.

Autoestima da Mulher

ARTIGOS